segunda-feira, 14 de maio de 2018

“A dor sempre se renova para o sofredor, mas perde sua originalidade para aqueles que o cercam”

Nesses últimos anos tenho passado por muitas questões de saúde...até agora sem muita relação entre eles, os sintomas vem fazendo da minha vida um verdadeiro inferno...não só pq afetam a mim, mas também à família...Dores todos os dias, cansaço, deficiência de vitaminas, problemas respiratórios, artrite reumatóide, ulceras, uma certa nuvem na cabeça (não é aquela nuvem bonitinha com sorriso..é uma daquelas que te fazem se sentir com se estivesse vendo o mundo de fora...como se eu não fizesse parte da minha própria vida) e por último psoríase reumatoide, sim, foi considerada por mim mesma como o mico do ano...pensei na época em que apareceu:" era o que me faltava, ...como vou esconder essa porcaria?" Casaco e calças ajudaram.

A questão de todos é sempre se estou tristinha, ou pq não sou constante, ou pq não estou bem...ainda me questionam o quanto de tudo isso é verdade e o quanto é "coisa da minha cabeça", realmente eu também me pergunto isso, será que estou enlouquecendo? Ou será que estou apodrecendo em vida? Será que estou desistindo? Sei lá, não havia respostas nesse momento, apenas vivia e vivo tentando achar a melhor opção para o dia.

Meu post hoje é pq posso aqui me expor sem ter que recortar e colar várias vezes, aqui não tenho que ter uma resposta rápida, posso pensar e analisar, não preciso ver o rosto de quem está lendo e explicar que eu honestamente sei que são dificuldades que tenho que passar, que eu tenho fé.

Sim, eu sei que tenho um convênio médico TOP, e pelo menos lá, eu sou VIP rsrsrs...não me falta nada, posso comprar os remédios, tenho acesso a ótimos alimentos, meus filhos não são revoltados, são maravilhosos, me ajudam, são inteligentes, bondosos e carinhosos, até tiram ótimas notas, meu marido me ama e trabalha por nós dois, nunca nega nada q eu peço, moro numa casa legal, num condomínio que tem de tudo pro nosso conforto, faço a faculdade que quero fazer, frequento a igreja que eu acredito, tenho responsabilidades lá que me deixam feliz, não tenho carro por opção e isso não é um problema pq quando quero/preciso fazer qq coisa e não quero pegar ônibus, eu vou de Uber....aí eu penso: Vida top...O que me falta?

Por muito anos consegui que poucas pessoas soubessem a luta que travo todos os dias, são pessoas em que confio muito e acabo permitindo me expor, mas que eventualmente em conversas acabam deixando claro que há uma desconfiança em tudo o que envolve minha saúde...Se fosse outra época poderia apenas pensar: "Deixa pra lá"...oh! como era bom ser resolvida...Aos meus amigos hoje digo: Obrigada pela paciência, voces não me entendem, mas eu também não me entendo, não sei o que está acontecendo comigo, então dá um "Hi 5" aqui e segue a vida.

Há pouco mais de 10 anos quando tudo começou procurei muitos médicos....começando pelos ginecologistas, foram 4 videolaparoscopias, onde descobri que tinha cistos, mioma, adenomiose, inúmeras aderências...por fim, encontrei um médico que resolveu "resolver" isso tudo numa tacada, fiz uma histerectomia. Opa! Agora vou melhorar....

E as dores voltaram..."Bom, vamos ao ortopedista"..."ahhhh, vc tem uma coluna de uma velhinha, acredito que uma denervação percutânea, vai te ajudar a voltar a ativa"...Fiz, dói, dói muito... ponto final. Fisioterapia e a esperança dada pelo médico que não sentiria mais as dores pelo menos em 2 anos...realmente melhorou mas não passou...

Coitadinha da Carol... (quem me conhece sabe o quanto reluto a essa frase, simplesmente detesto)

Nessas entrelinhas, contem com pneumologistas, otorrinos, gastro (esse encontrou um pequeno tumor e já trabalhou de maneira a extingui-lo)...as dores seguem, e a vida vai passando...e a juventude vai indo embora...tudo aquilo que você desejou pra si mesma no campo profissional você vê tb indo embora...pra alguns isso não tem importância, pq não há qualquer ambição, mas pra mim era importante. ERA é uma palavra a ser considerada.

Um ano atrás as dores tomaram uma intensidade maior e infelizmente não tive como ficar de fora de novos tratamentos...virei motivo de piada, afinal nada resolve meu problema...ao consultar uma ortopedista top que analisou meus exames e minha vida,e procurou trabalhar fora da caixa da especialidade dela, me apresentou de perto o que eram as doenças autoimunes, não vou aqui explicar o que é isso pq tem muitas boas definições por aí...Bom, meu corpo está me atacando...Great... Reumatologista...fui até agora em 4, uma pessoa bem próxima diz que isso é falta de vontade de seguir um tratamento (doeu isso), mas já aviso e espero que essa pessoa leia meu desabafo hj, não é falta de nada não...Vou esclarecer de maneira que qualquer um que já foi resolver algo importante na saúde vai entender:

1. Médico que vê minha aura não atende às expectativas.
2. Médico que não olha meus exames também não.
3. Médico que quer descobrir uma doença autoimune em 20 minutos de conversa, sem examinar também não serve.
4. Cheguei nesse médico velhinho (tenho um apreço especial por essas raridades) e ele tinha um monte de perguntas, checou todos os exames dos últimos anos pra perceber alguma evolução importante, me esticou, pressionou, apertou, olhou, observou...e lá se foram 90 minutos num consultório. E aí ele sem sensibilidade alguma disse que realmente algo está errado, mas que eu não preciso me preocupar pq não estou ficando louca, que eu não estou atraindo isso pra mim com pensamentos ou desejos negativos, que isso não é falta de fé ou falta de vontade de viver...que os sintomas são reais, a fadiga não é preguiça, que a tristeza das dores não é sem razão...complementou que eu sou uma GUERREIRA. Aí se vão litros de lágrimas. Saio de lá com uma formula pra manipular, 3 remédios pra comprar, 1 indicação de nutricionista, 1 de psiquiatra (bom ele disse q não estava louca, mas tinha sinais de depressão), além de um pedido encarecido pra eu não tomar sol, e tomar cuidado pq minha imunidade iria pro chão nos próximos meses...procurar algo que eu realmente goste de fazer, mas que não seja trabalhar pq nesse momento não existe essa possibilidade. Deu até prazo, em dois meses eu deveria ter uma melhora.

Os dois meses de prazo estão chegando ao fim e não fico feliz em dizer que não tive uma grande melhora.

Sexta-feira tinha um jantar de dia das mães e fiquei toda animadinha rsrsrs...mas minha filha ficou doente e eu tb não estava bem, isso não é uma novidade....já tinha ido ao ps na segunda feira por conta de uma dor de cabeça horrorosa e tonturas.... incrível...fomos ao ps ela e eu, super preocupada, mas meu marido estava passando com ela e eu me concentrei em mim.

Disse o que tinha e a médica foi boazinha, novamente fui furada e tomei mais medicação...ela disse q estava com sinusite...muito bem, quando acabou tudo, fui pro consultório onde minha pequena estava e tive uma crise de tosse, senti claramente uma série de pontadas no rosto e uma pressão horrorosa na cabeça...achei q ia morrer. Voltei à triagem e minha pressão estava a 18x15. Não conseguia abrir os olhos, nem pensar...me colocaram num quarto e fiquei lá, tentando conseguir pensar em algo pras meninas não ficarem tristes em me ver naquela situação, mas não dava, era impossível, meu marido as levou pra casa ... e fiquei lá, fiz tomografia, tomei outra série de medicações, desmaiei novamente e quando consegui melhorar acordei sozinha naquele quarto, e tive certeza que nunca mais serei a mesma. Ali, entendi que a gente não tem controle de nada.

Voltei pra casa e não consegui dormir, e desde aquele dia não tenho dormido mais do que 1 hora sem acordar, minha cabeça continua doendo, ainda estou com as dores...mas quer saber? Não vou deixar de lutar em ser positiva, pra ajudar os outros nas pequenas coisas q posso fazer... vou tentar com todas minhas forças não ficar tão irritada, não vou mais dizer a ninguém o que realmente sinto, vou me apegar ao Senhor e expor minhas dificuldades e tristezas a Ele.

"UMA DAS COISAS MAIS difíceis sobre estar cronicamente doente é que a maioria das pessoas considera incompreensível o que você tem — se elas acreditam que você tem alguma coisa. Na sua solidão, sua preocupação com uma realidade duradoura, você quer ser compreendido de um modo que não pode ser. “A dor sempre se renova para o sofredor, mas perde sua originalidade para aqueles que o cercam”, observa Alphonse Daudet, escritor francês do século XIX, no relato de sua vida com sífilis, No País da Dor. “Todo mundo se acostuma com isso, menos eu”."
https://medium.com/@rntpincelli/o-que-h%C3%A1-de-errado-comigo-86d2e66d14b2

sábado, 11 de junho de 2016

Dado da Reverência no Berçário

Mudamos de ala e agora estou no Berçário (desde fevereiro)...uma delícia!

Várias ideias para a aula de amanhã sobre ser reverente, aula 20 manual do Berçário, na internet, mas gostei do dado...no manual mesmo já poderíamos ter usado em outra aula, mas dessa vez vamos praticar a reverência com este dado. 

Fiz um pra cada criança, mas pra não tumultuar vou usar só um na aula ;) E aí cada um leva o seu pra casa.

Bjos
 

quarta-feira, 8 de junho de 2016

Nivers desse Ano

Como sempre digo o tempo passa...e eu não dou conta de atualizar minhas recordações como deveria!!

Bem vou fazer isso, vou começar com os aniversários, Renatinho fez 8 anos e não existem palavras para descrever ele ter aceitado ser batizado. Sim! Meu menino que nasceu ontem foi batizado.
Seu pai o batizou.

Foi dia 13/02/2016;
Um dia muito feliz e especial. 
Ele tocou violino, as professoras tocaram, foi lindo e especial...depois coloco a ata...e fotos!!!

O próximo foi da Juju, 30/04. 5 anos de pura gostosura!!!
Niver em casa, uma delícia ter a família reunida.


Dificil eh reunir essa meninada toda e tirar uma foto em que todos olhem pra camera...hahaha...eh muita energia.

Beatriz, 6 anos de companheirismo..Ela é uma doce companhia.
29/05/2016




Eu tinha foto do meu aniversario, fui almoçar com meus amiguinhos (filhos) e fomos ao cinema...Mas fiz bobagem e deletei, infelizmente...Mas fazer 35 me fez muito bem! 
Estou tendo um bom ano, muitas coisas pra fazer, planos e depois da cirurgia não tive mais dores (aquelas dores) e hemorragias, o que mais eu poderia querer?
Cuido dos meus filhos, o Renatão me ama...e tenho muitas coisas na cabeça pra realizar!
Só posso agradecer!




domingo, 20 de dezembro de 2015

Amanhã, depois de 8 meses de sangramento e dores, vou operar...fazer uma histerectomia por laparoscopia.
Estou feliz por que esse pesadelo terá fim, mas confesso que tenho medo. Já fiz duas vezes esse procedimento, tenho alguma experiência com anestesias, hospitais e pré e pós cirúrgico. Sei que não é fácil, então simplesmente procuro não pensar no assunto. Inevitável.
Penso principalmente nos meus filhos, eles não devem entender muito o que está acontecendo, nem eu mesma entendo...mas vai passar, esse pesadelo ficará para trás e vou viver melhor, uma nova vida.
Esse eh o meu mais sincero desejo
Amo muito essas crianças! Sinto falta da bagunça e das agitação.

terça-feira, 24 de novembro de 2015

Ahhh o amor....

Não consegui postar nenhuma foto do celular no blog.


Hoje gostaria de falar sobre o amor.
Quando era mais nova achava que tudo poderia ser superado se houvesse amor. Um dia não sei como e nem onde, ouvi alguém dizer que só amar não é suficiente. Será? O que seria ainda necessário para que as relações humanas fossem um pouquinho melhores do que são?
Nem saberia por onde começar a descomplicar esse problema.
Vindo de um lar despedaçado, sempre soube exatamente o que não queria, mas confesso que muitas vezes não tinha claro em minha mente o que queria.
Sei ainda o que não quero, ainda sei...ainda sonho com a perfeição na comunicação. Não quero palavras"mal -ditas" em meio a uma relação de amor. Sim, as palavras tem muito poder...e não, elas não podem ser "des-ditas". Essas palavras"mal-ditas" nunca serão esquecidas.
Sabendo disso, algumas pessoas, optam simplesmente em não dizer nada. Mas até que ponto elas poderão aguentar esse silencio? O quanto isso é saudável em uma relação?
Ainda sonho com o romantismo. Sei que pode parecer brega, mas para mim nada aquece mais meu coração do que ser lembrada, do que o planejamento de uma saída juntos, do que falar sobre o futuro,do que comemorar o aniversário de casamento (para mim é a data mais linda do calendário), do que a gentileza em pequenos atos. Por isso que para mim fica claro que não quero dia após dia viver em meio a raios e trovoadas, uma primavera faz muita diferença. Ahhh, como eu amo a primavera, nem o calor de verão, nem o frio do inverno...


Outra coisa que sei que não quero é a aspereza... Não existe nada mais pacificador do que um elogio...eu realmente acredito no poder de um elogio. Como faz diferença! Como é importante estar ao lado de alguém que acredita em vc.




24/11/2015 - 9 anos de Casada. Ainda tenho muito o que aprender....mas descobri há pouco tempo pq amar soh não é suficiente.
David B. Haight escreveu: 'O amor é um verbo'. Ele requer ação - não apenas palavras e pensamentos. O teste está no que se faz, e como se age, pois o amor é transmitido em palavra e atos.